A Nossa Loja

Sabores 100% Trás-os-Montes e Douro

A mostrar todos os 11 resultados

Alguidar Típico (pequeno)

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro.

O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI. O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: confeção de alimentos no forno (sobretudo arroz)
Formato: Unidade

Disponível em outros formatos. Preço sob consulta.

3,00 (IVA Incl.)

Bilha de Segredo

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI. O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: essencialmente decorativa. Uma das peças mais emblemáticas da produção de olaria de Bisalhães
Formato: Unidade

20,00 (IVA Incl.)

Caneca

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI.

O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: serviço de líquidos (água ou vinho)
Formato: Unidade

4,00 (IVA Incl.)

Copo

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI.

O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: serviço de líquidos (água ou vinho)
Formato: Unidade

3,50 (IVA Incl.)

Forma do Covilhete

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI.

O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: para suporte ao covilhete, salgado típico da cidade de Vila Real
Formato: Unidade

1,75 (IVA Incl.)

Galheteiro

20,00 (IVA Incl.)

Panela Tradicional

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI.

O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: confeção de alimentos no forno
Formato: Unidade

14,00 (IVA Incl.)

Pichorra

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI.

O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: serviço de líquidos (água ou vinho)
Formato: Unidade

Imagem ilustrativa (copo vendido em separado)

10,00 (IVA Incl.)

Prato

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI.

O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: para suporte ao covilhete, salgado típico da cidade de Vila Real
Formato: Unidade

Disponível em outros formatos. Preço sob consulta.

6,50 (IVA Incl.)

Tacho tradicional

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI.

O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: confeção de alimentos no forno
Formato: Unidade

15,00 (IVA Incl.)

Travessa (Pingadeira)

A Louça Preta de Bisalhães, específica do centro olárico da aldeia de Bisalhães no concelho de Vila Real, singulariza-se pelos processos e técnicas ancestrais usados na sua confeção e cozedura. Este processo ancestral passa por cozer as peças feitas pelos oleiros em fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma e carquejas que são depois abafadas com terra que, misturada com o fumo, confere a cor negra às peças de barro. O processo de confeção da olaria de Bisalhães remonta, pelo menos, ao século XVI.

O processo de fabrico da Olaria Negra de Bisalhães foi declarado Património Cultural Imaterial da Unesco em 29 de novembro de 2016 durante a reunião do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial em Adis Abeba, na Etiópia.

Produtor: Olaria Ramalho
Características: confeção de alimentos no forno
Formato: Unidade

13,50 (IVA Incl.)

10% de desconto na primeira compra

Na subscrição da nossa newsletter

Tem idade legal para consumir bebidas alcoólicas?

Para aceder a esta página deve ter idade legal para o consumo de bebidas alcoólicas, de acordo com os termos legais do seu país.